Blog Crônica Poesia

Fragrâncias do Saber

20131002-231030.jpg
Pela janela fluem filetes de ar estagnado, que escorrem pele afora ao chocar-se com o corpo. No mesmo fluxo, notícias fluem de um rádio sintonizado lá no pátio do condomínio e moldam-se na imaginação juntamente à figura indistinta de algum idoso que busca inteirar-se dos fatos da vida. A manhã empurra o sol céu adentro num tic-tac frenético, cosendo 7 horas com 37 minutos. Pela janela também se esvaem pensamentos mesclados com palavras saídas de um livro, enquanto bela jovem se orna com fragrâncias do saber.

Admirador da cultura chinesa, tenho me esforçado para desmistificar e diminuir as distâncias entre esses dois países promissores perante o atual cenário econômico mundial: Brasil e China. Estudo mandarim desde 1997. Autodidata, acredito que não existam atalhos para o conhecimento. Não obstante, o exercício da aprendizagem, em si, e a perseverança encurtam caminhos, aumentam a concentração e tornam o percurso como o de um passeio matinal ensolarado. Além de atuar como tradutor-intérprete, sou consultor e intermedio negócios na área de importação-exportação.

0 comentário em “Fragrâncias do Saber

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: