Poesia

Quiet Nights

Quiet Nights



Dusting memories by the window,
an autumnal vase flutes mellow tunes
when the wind caresses its moonlighted surface
like falling leaves soughing sighed words.
A cup of bitter black coffee smokes around.
And hazy eyes furniture the night
fluttering torn thoughts through the air.

2009-May-08
05:16am

Admirador da cultura chinesa, tenho me esforçado para desmistificar e diminuir as distâncias entre esses dois países promissores perante o atual cenário econômico mundial: Brasil e China. Estudo mandarim desde 1997. Autodidata, acredito que não existam atalhos para o conhecimento. Não obstante, o exercício da aprendizagem, em si, e a perseverança encurtam caminhos, aumentam a concentração e tornam o percurso como o de um passeio matinal ensolarado. Além de atuar como tradutor-intérprete, sou consultor e intermedio negócios na área de importação-exportação.

3 comentários em “Quiet Nights

  1. I think there is a kind of Chinese sentiment in this poem, as we can find in many ancient chinese poems.Take this one for example:减字木兰花冷香浮动。望处欲生蝴蝶梦。晓日瞳昽。愁见凝酥暖渐融。鼓催歌送。芳酒一尊谁与共。寂寞墙东。门掩黄昏满院风。

  2. Na sala visualizo o vaso. Do vaso vazam rosas. Entao, nao ha mais a solidao, mas sim o vaso das rosas vazadas. Comigo.

  3. Where has your soul been, catching thoughts in the darkest corners? Leaving the readers with questions about your state of mind.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: